Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Nuvens no chão

Não estou desacreditada, não estou vinculada a passados, não vivo na ridícula obsessão do amor.

Irei ser só o teu reflexo, vais ver só o que projetares em mim, sonhos, ânsia, fantasia.

Nunca me conseguirás conhecer enquanto não parares e me vires realmente como sou, como me comporto, sem pensares mais além do que uma amizade.

Vou-te arruinar o encontro se te sentir a mendigar amor, não te vou dar essa esmola, não posso contribuir para causas humilhantes.

Sou mais do que o que vês, sou alguém que quer começar por baixo e com passos precisos e determinados, gosto de sentir o chão, já caí algumas vezes e o sabor da terra é desagradável, aprendi a dar passadas curtas.

Estou cansada de ilusões e desilusões, sentimentos descartáveis, criancices, extremos.

Quero que me olhes nos olhos, quero que sintas amizade, a essência, a presença e a harmonia. Conversa com o cérebro vazio e pensamentos aleatórios, acabam por provocar sorrisos dóceis e espontâneos, quero que te sintas tranquilo, estável e confiante, quero que passes essa energia para mim.

Sê curioso e tenta espreitar para lá do muro que ergui, corres o risco de encontrar um jardim bem cuidado, cheiroso e tranquilo. Não o saltes, podes estragar tudo o que cuidei, foi muito penoso e doloroso para o deixar assim, mas valeu a pena.

Abro-te a porta se me ajudares a cuidar dele.

Quero ser amiga, quero cumplicidade, quero toques, quero abraços, carinho mas não os irei provocar.

Nunca te vou dizer o que queres ouvir, irei tentar ser inconveniente só para te colocar confuso, irei testar a tua paciência para ver se realmente a minha companhia faz a diferença.

Deixa os meus passados e traumas no seu conforto, deixa-me descontrair e soltar-me, deixa-me partilhar aquilo que consegui e dar-me a conhecer, talvez seja mais surpreendente do que o teu reflexo.

Não me faças perguntas muito pessoais, vais perceber com facilidade o porquê de estar sozinha, também tenho o meu lado negro, não procures o que não queres ver. Sou toda um misto de emoções, sou amor arisco.

Não indomável, só precisa de alguém com paciência e que me faça sentir segura.

Para já um café e a companhia agradável é o suficiente para os dois.

Não mendiguemos nada, já somos crescidos.

 

21764013_10209983200204489_1008966154_n.jpg

Foto de: Sara S.

4 comentários

Comentar post