Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

O adeus do outro lado da janela

Já não te vejo faz meses, a saudade dentro do meu peito é tão apertada que esmaga o meu coração contra as minhas costelas, é quase difícil respirar. Já não sei o que é falar contigo, o teu “bom dia” que me dava aquela energia logo pela manhã e me fazia sorrir o dia todo como se fosse uma poção mágica, deixou de existir.
A minha persiana continua para baixo só entra o mínimo de claridade por entre os furinhos. Continuo na minha posição estática, com o olhar fixado no meu teto branco onde vão passando as imagens da nossa história e o telemóvel no meu peito como se tivesse a aguardar uma notícia tua.
Optamos por um caminho diferente e agora aguardamos o destino.
Cada vez que me confronto com a realidade, inconscientemente uma lágrima teima em cair e contornar o meu rosto magro e delicado, borrando o meu rímel.
É difícil a luta entre o amor que sinto e a minha racionalidade.
O tempo teima em passar lentamente. É controverso, as nossas conversas de horas passavam em minutos, os dias agora parecem não terminar e juntos só piscávamos os olhos e era de noite. As noites, as noites são um inferno onde o ciúme é projetado na escuridão da minha alma.

Não havia mais nada a fazer por nós, estávamos condenados desde o início.

Mas perdoa-me, não posso viver mais a tua ilusão por mais doce que seja, gostava de a viver eternamente porque da maneira que a imagino é tão perfeita e doce, mas não é física. Não sinto o teu toque, não sinto o teu coração a encostar no meu na intensidade do abraço.

Nunca vou conseguir mudar o nosso passado, mas sei que posso e quero ter sentimentos reais.

Não irei procurar mais respostas, sei que me está a esgotar, estou a entrar numa espiral de sentimentos onde me estou a emaranhar.

Já chega, não é isto que eu quero.
Abri a minha persiana, reparei que está um dia lindíssimo lá fora, o meu corpo sorriu só de poder respirar o cheirinho das flores.

Levaste-me a inocência, mas não te deixei que me levasses a esperança.

 

21553060_10209951764978628_1075842462_n.jpg

Foto de: Sara S.

Modelo: M. Gusman

http://fotografiasaras.blogspot.pt/ 

 

6 comentários

Comentar post