Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Parágrafo, uma nova história

É nas linhas deste papel em que eu vivo para ti todas as noites.

Não há uma única linha em que não sinta a saudade, a dor, um pouco de sentimento de raiva.

É nesta folha de papel que recordo tudo o que vivemos, o que poderíamos ter vivido, onde fraquejámos e o quanto fomos felizes ao lado um do outro.

De caneta na mão, suspiro vezes sem conta.

«Pensava que iria ser mais fácil este desapego.»

Talvez com a nossa história ajudemos a completar a dos restantes, uma história tão em comum como outras todas.
A nossa era especial.
Era a nossa.

Escrever o nosso desapego é estranho mas muito livre. Sem mascaras, sem pressões, apenas recordando o que foi bom, para o manter e o mau, para o aceitar.

Acho que é ao escrever que encontro a única forma de superar todo este turbilhão de sentimentos.
As razões que levam a isto para acontecer é que: 
Posso colocar um ponto final no fim. 
Viro a folha, dou um parágrafo e escrevo uma nova história.

 

notebook_on_the_desk.jpg